sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Lixo (MAIS QUE) Extraordinário

Bem, ultimamente tem sido complicado postar aqui por conta da volta às aulas e tal, mas eu tiiiive que vir aqui pra comentar sobre o documentário que vi junto ao pessoal da faculdade chamado "Lixo Extraordinário".
Apesar de não gostar nenhum pouco da professora da matéria (como tooodo mundo já sabe), admito que ela sabe trabalhar. Digo, não com os alunos ela mesma, mas ela sabe como formar um plano de aula muito bom e tudo mais!
O documentário relata nada mais, nada menos, do que uma "pequena" experiência vivida pelo artista plástico brasileiro (mas muito mais conhecido mundialmente [Brasil, por favor, vamos começar a valorizar o que é nosso né?]) Vik Muniz. Pra quem não conhece o trabalho dele, foi ele que fez o tema de abertura da novela Passione. Ele trabalha sempre 'testando' novas maneiras de arte, como em suas réplicas da Monalisa, uma feita de geléia e outra de pasta de amendoim!
Vale muito à pena assistir esse documentário porque além de ter sido um trabalho maravilhoso e com uma visão social, foi feito no Brasil. O que convenhamos, não acontece sempre. E muito menos concorrendo ao Oscar! Só Deus sabe o quanto eu torço pra que o filme ganhe aquela estatueta, mas todo mundo sabe como os EUA e o resto do mundo são com nosso país... ontem eu soube que haviam negado o visto de turista a um dos personagens do filme, uma das peças chave de todo o documentário. Acabei de fazer uma pesquisa rápida aqui no google e vi que ele já viajou pra lá hehe ainda bem! 
Não vou detalhar nada sobre o documentário, só digo que vale muuuuuito à pena! Chorei pra caramba no cinema... é bom ver que tem pessoas como Vik Muniz pelo mundo, que se preocupam com o social, com o de todos. É, porque o lixo não é dos catadores, muito pelo contrário; ele é de todos nós, somos nós que o produzimos. Os catadores de MATERIAL RECICLÁVEL tentam diminuir a quantidade desse lixo recolhendo o que ainda pode ser utilizado dele. 
Ah e só lembrando... 99 não é 100!

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Things I'll Never Say - Avril Lavigne

It don't do me any good
It's just a waste of time
What use is it to you
What's on my mind?
If ain't coming out
We're not going anywhere
So why can't I just tell you that I care

Cause I'm feeling nervous
Trying to be so perfect
Cause I know you're worth it
You're worth it
Yeah

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Saudade de você

Onde isso vai parar?
Se é que você pensou
Em chegar a algum lugar
Espera o sol desabar no mar
Mergulhar no silêncio (...)

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

NADA

O quê é o nada? Pra mim, o nada é o tudo que não damos valor. 
Nada além disso. 
Ou seja: tudo!

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Relembrar

Já ouvi muita gente dizer "relembrar é viver", mas será mesmo? Acho que depende muito do contexto. Quando você recorda das coisas boas, sabendo distingui-las entre as situações e circunstâncias atuais, com certeza faz bem. Mas à partir do momento em que você já não está lá muito bem dos sentimentos e começa a rever coisas que no passado já lhe fizeram muito bem, mas que hoje não passam de meras histórias 'antigas' e que você só quer esquecer... relembrar não é viver. É deixar de viver o presente e se ver novamente no passado, tentar entender porquê certas coisas aconteceram ou deixaram de acontecer. É se deixar levar por meros "achismos" e julgar muitos acontecimentos que um dia já foram importantes pra você. É simplesmente... não viver!
É... relembrar atualmente não tem me feito muito bem!

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Sentimental

É, é isso que eu sou. Ainda mais num dia movimentado como esse de hoje. Acordar cedo, me arrumar às pressas, perceber que o dia realmente vai ser dolorido, sair quase sem comer (lá pelas 6h20) e chegar na auto-escola ela estar fechada não é problema nenhum! Ao menos eu acordei de bom humor, rindo bastante e mais psicologicamente preparada pro teste que me aguardava. Se tratava de nada mais, nada menos que o maldito exame prático. Nada mexe mais com meu psicológico do que coisas físicas, digamos assim. No colégio eu nunca fui das menininhas que fica feliz em fazer aula de educação física, muito pelo contrário: era mais de ficar num canto conversando ou passando a bola gentilmente entre minhas amigas. Nunca gostei de competições pra falar a verdade... chegavam a época dos jogos, eu era a primeira a comprar a camisa, mas só pra assistir. Nunca na galáxia eu joguei no colégio por livre e espontânea vontade. Só joguei uma vez, obrigada, e perdemos. Bem feito né? Eu avisei! Então, voltando ao meu dia de hoje. Minha prova teórica foi tensa, mas porque eu fiz pressão sobre mim mesma: só tapado não passa nisso, né? É? Até hoje não sei! Intitular pessoas que não passam em exames é tão idiota quanto assistir BBB, parece que você quer controlar o outro. Mas isso não vem ao caso! Quem gosta dessa porcaria de BBB, por favor, nem perca seu tempo lendo meus desabafos porque eu provavelmente não gosto de você. A verdade DÓI. Enfim! Na teórica é aquela coisa né, você lê, acha uma idiotice, mas fica morrendo de medo de ter errado aquela LEZEIRA. Errei só uma das 30 questões e o cara só faltou beijar meus pés. Por favor, né? Daí comecei minhas aulas práticas. Ô véio desgraçado que colocaram pra me ensinar! O infeliz não ensinava nada direito, terminei minhas aulas com ele tendo ido levar a mulher e o neto em vários lugares, mas não tendo aprendido a fazer uma redução de marcha sequer! Fiquei com tanta raiva que pedir pra mudar de professor, e o que a secretária da auto-escola fez? Contou pro véio! Haha no dia de me levar pra fazer a prova prática, o desgraçado disse que não ia me levar porque eu tinha dito que ele era enrolão. "Enrolão, enrolão, enrolão!" minha vontade era de gritar isso bem na cara dele. Mas como sou muito sentimental o máximo que consegui fazer foi chorar. Chorar e ligar pra minha mãe. Num instante o grosso do véio disse que ia me levar. Chantagem emocional, adooooooooooro. Então, é claro que eu não passei de primeira. Quer dizer, com uma pré-experiência dessa com esse véio (me perdoem os mais "santos" que lêem) sacana não tinha como passar. Ainda mais sendo sentimental. Então, claro que depois dessa merda de experiência, troquei de auto-escola. Nossa, a diferença foi estupenda! Só tenho a dizer que no outro dia que fui fazer a prova eu tava tão tranquila, mas tão tranquila que acho que nem preciso provar drogas pra ter uma "viagem astral". Ela aconteceu nesse dia. E de tão lezada que eu tava, perdi o exame de novo, mas dessa vez por falta de atenção. De lá pra cá muitas coisas aconteceram. Viajei, passei quase um mês fora de casa, dirigi em Fortaleza. Não me deixaram dirigir em Natal porque as pessoas com as quais andei por lá eram muito caretas aaaaaaaargh. Quando voltei, não tinha mais toda a confiança anterior e a prova já tava marcada. Fazer o quê tinha que ir! Cheguei, dei uma olhada no percurso, e antes mesmo que meus colegas de carro pudessem pensar (e antes que eu mesma pudesse pensar) falei pro professor que ia ser a primeira a fazer o exame. O QUÊ? Me senti a verdadeira vomitadora de palavras (ou a Casey de Meninas Malvadas muahaha). Mas aí já tava feito, o professor tava tão orgulhoso de ter uma primeira aluna que pra todo mundo que chegava ele dizia "porque a senhora Ana será a primeira..." oh! Então lá fui eu... e né que passei? Quando percebi que tinha passado me senti como se tivesse passado no vestibular de novo... vontade de pular, gritar e abraçar quem estivesse pela minha frente! E foi o que eu fiz HAHAHA liguei pra minha mãe, gritando e pulando, e graças à Deus tinha uma amiga minha por perto, daí fui abraçá-la. Depois vim pra casa e não fiz nada o resto do dia. Só agora à noite que vim mexer na net e como sempre, acabo vendo algo que me arrependo depois. Porque eu sou assim, tão sentimental? À ponto de ver fotos antigas e chorar só de me lembrar de coisas que talvez até nunca tenham existido. Minha imaginação às vezes é minha total inimiga quando o assunto é passado, ou até mesmo futuro. Tanto que às vezes me pego sem saber distinguir o que imaginei, dos fatos (se eu dissesse dos fatos reais minha irmã me matava!). É, acho melhor eu ir dormir. Tô começando a sonhar acordada com outras coisas já...

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Quem acredita sempre alcança...


Mas é claro que o sol vai voltar amanhã
Mais uma vez, eu sei
Escuridão já vi pior, de endoidecer gente sã
Espera que o sol já vem.

Tem gente que está do mesmo lado que você
Mas deveria estar do lado de lá
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Tem gente enganando a gente
Veja a nossa vida como está
Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança!

Música em homenagem à louca madrugada e ao dia estupidamente terrível de hoje.